Damos-lhe as boas-vindas ao site do Projeto FOCUS.

O objectivo do projeto FOCUS é reduzir, significativamente, o efeito da fragilidade nos idosos em toda a Europa.
Para isso, estamos a desenvolver metodologias e ferramentas para serem utilizadas pelas entidades dedicadas ao rastreio, diagnóstico precoce e gestão de situações de fragilidade.

A fragilidade é uma condição clínica comum entre os adultos mais idosos que aumenta o risco de problemas de saúde, de quedas, de dependência nas actividades da vida diária, de hospitalização e mesmo de morte.
A prevalência de situações de pré-fragilidade e fragilidade na Europa é elevada e constitui um importante problema de saúde pública. Por outro lado, os custos e os encargos inerentes à fragilidade são muito elevados, penalizando fortemente os sistemas de saúde e social, as famílias e a sociedade como um todo. A implementação de mecanismos de diagnóstico precoce e de gestão da fragilidade, como formas de promover o envelhecimento ativo e saudável, é um desafio para todos os países Europeus.

O projecto FOCUS reúne profissionais de saúde e investigadores de seis países Europeus, que estão a sistematizar o conhecimento e a evidência disponíveis na literatura, a identificar as necessidades das diferentes partes interessadas e a recolher informação acerca do trabalho desenvolvido pelos participantes na Parceria Europeia para a Inovação na área do Envelhecimento Activo e Saudável. O objectivo final é criar serviços personalizados que ajudem todos aqueles que trabalham no rastreio e diagnóstico de situações de fragilidade e pré-fragilidade e no tratamento dos cidadãos afectados. Estes serviços serão disponibilizados através de uma plataforma desenvolvida pelo projecto FOCUS na Internet.

Para chegar ao maior número possível de interessados e garantir que os resultados do projecto perduram após a sua conclusão, estamos a criar a rede Europeia FOCUS.
Convida-mo-lo a participar, registando-se como membro da rede FOCUS e contribuindo para a identificação e a divulgação de boas práticas.

Antonio Cano
Coordenador do Projeto FOCUS